A Fatura Eletrónica na AMÉRICA LATINA: Um desafio para as multinacionais

A Fatura Eletrónica na AMÉRICA LATINA: Um desafio para as multinacionais

28/11/2016

As multinacionais com presença na América latina não têm só de adaptar-se às especificidades comerciais dos seus clientes regionais. Têm também de cumprir com as especificações técnicas e fiscais dos diferentes países no que diz respeito a faturação eletrónica e manter uma ligação permanente com as diferentes autoridades tributárias.




Em 2016, enviaram-se em todo o mundo cerca de 30 mil milhões de faturas eletrónicas (de 10% a 20% mais que em 2015). O relatório anual da Billentis, do qual retirámos estes dados estatísticos, evidencia que o uso destas tecnologias é muito desigual entre regiões. E 11 mil milhões destas transações são da América Latina, onde as diferentes autoridades tributárias e fiscais exigem maioritariamente a utilização deste sistema como única opção de faturação.

Esta realidade foi o principal ponto tratado durante a passada edição do CIAT Technology Meeting, realizado entre os dias 10 e 12 de outubro em Miami, onde diferentes autoridades tributárias, empresas e fornecedores de serviços puderam trocar experiências sobre boas práticas no âmbito da gestão tributária.


Modelo único de fatura eletrónica?

As multinacionais presentes na América Latina devem adaptar-se à fatura eletrónica de forma obrigatória na grande maioria dos países. No México e Brasil, países líderes na adopção deste sistema de faturação, esta é utilizada por praticamente 100% das empresas e contribuintes. Mas para além destes dois países, os sistemas de “compliant eInvoicing” são também uma realidade totalmente enraizada noutros países como o Chile, Equador, Argentina, Peru ou Nicarágua. Noutros países como a Colômbia, Uruguai e Guatemala, a obrigação cresce de forma progressiva, somando pouco a pouco um maior número de emissores. Entretanto, uma pequena quantidade de países como a Costa Rica, El Salvador ou Panamá, mantêm ainda tímidas iniciativas que no melhor dos casos não passam de projetos em estudo.

É frequente as empresas multinacionais que operam nesta zona do mundo contarem com sistemas de gestão localizados em centros empresariais fora das fronteiras destes países. Sistemas que também são explorados por utilizadores de diferentes países que devem adaptar os seus processos contabilísticos, fiscais e comerciais não só às particularidades dos seus clientes, como também às exigências das diferentes administrações tributárias com que têm de interagir.

É frequente as faturas emitidas na América Latina terem de expedir-se de acordo com especificações técnicas que diferem em cada país. Especificações que exigem muitas vezes a declaração em tempo real dos valores repercutidos na liquidação de impostos, obrigando as empresas a enfrentar o desafio de adotar múltiplos requisitos técnicos e legais que podem traduzir-se em perdas de eficiência na gestão comercial e administrativa.


Uma solução global

Para superar todas estas ineficiências, as empresas podem optar pela implementação de soluções globais de faturação eletrónica.

Estas são plataformas integrais ligadas aos sistemas de gestão do emissor, que assumem toda a complexidade derivada da adaptação dos dados, assinatura eletrónica e declaração dos montantes às administrações tributárias em cada caso.

Este tipo de soluções costumam funcionar na nuvem, e para serem eficientes devem disponibilizar múltiplas tecnologias de integração para garantir um tratamento automático dos dados gerados a partir do ERP. Se o provedor da plataforma acreditar uma sólida experiência, presença internacional e capacidades técnicas para prestar serviços complementares (emissão de certificados eletrónicos, assinatura digital avançada, armazenamento certificado dos documentos, etc), maiores serão as garantias de sucesso do projeto.

Plataforma e-Invoicing

Uma única solução que permite emitir fatura eletrónica em qualquer país do mundo

Consulta las últimas noticias en...